A equipa

Autoria, design, ilustração e direcção de arte

Patrícia Fidalgo

Nasci e resido em Lisboa. Frequentei o IADE (design de moda) e concluí os cursos no ARCO (em desenho e desenho de ilustração). Trabalho em ilustração e design gráfico há cerca de 20 anos.

Trabalhei em publicidade por muitos anos como diretora de arte na RSCG; como designer gráfica num jornal diário – Diário Económico; fui coordenadora do departamento criativo e designer gráfica em simultâneo, numa agência de design gráfico – Virtual Census. Actualmente desenvolvo projectos como ilustradora e designer gráfica independente.

Em Agosto de 2015, realizei a minha primeira exposição de ilustração, na Lx Factory, na livraria Ler Devagar, em Lisboa.

Gosto de trabalhar com diferentes materiais e plataformas, desde lápis de cor, tinta da china, lápis de cera, pastel de óleo, carvão, grafite, caneta e arte digital. O portefólio.

Adoro e pratico várias actividades na Natureza, tais como escalada, hiking, trekking ou caminhadas à beira mar. Daí também esta necessidade de criar uma peça que viesse ao encontro da vida ao ar livre, do respeito pela Natureza e de como ela nos pode beneficiar se for tratada de forma sustentável.

Muito obrigada a toda a inestimável equipa de amigos, Filipa, Margarida, Diana, Maria, Juan, Francisco, Miguel e Nuno, que se voluntariaram e disponibilizaram o seu tempo e paciência, para que eu realizasse o meu sonho. Eu não o teria realizado sem a vossa ajuda. Um caloroso agradecimento a todos vocês.

Um agradecimento especial a todas as marcas que têm apoiado este projecto.

Muito obrigado a todos por acreditarem!

Texto

Filipa Caldas

Sou natural de Lisboa e residente em Oeiras. Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas  Inglês/Alemão, iniciei a minha vida profissional como copywriter numa pequena agência francesa – a RSCG – que ajudou a construir o espírito criativo português e hoje dá pelo nome de Havas, um dos mais fortes grupos de comunicação multinacionais.

Actualmente sou redactora freelancer e social media manager. Participo em vários projectos ligados à economia social, como voluntária e copy pro bono.

Foi na agência RSCG que conheci a Patrícia, primeiro como maquetista e depois como Directora de Arte. Criativa, empenhada, divertida, começou a magicar este projecto nessa altura. Finalmente está a concretizá-lo e eu fico feliz por participar. A © “Quinta da Avó Quitéria” é uma peça única no seu género, que promove Portugal e os seus produtos de qualidade, apostando num espírito de comércio justo. Merece todo o sucesso.

Mentora (Ia edição)

Margarida Monteiro de Barros

Sou natural e residente em Lisboa. Doutorada em Inovação para a Sustentabilidade e formação de base entre Lisboa e Milão em Design de produto da Faculdade de Arquitectura. Comecei a minha actividade profissional em Barcelona onde vivi 5 anos, depois mudei-me para Inglaterra (Midlands) onde tirei o meu doutoramento, voltei para Portugal e integrei a Amorim, trabalhando com a cortiça aplicada a diversos produtos finais. Desde sempre trabalhei com empresas (da indústria aos serviços), motivando-as a saírem da sua zona de conforto em mercados diversos como Espanha, Portugal, França, Alemanha e Inglaterra.

Este projecto, ©”A Quinta da avó Quitéria”, aparentemente modesto, considero-o uma alavanca e um projecto integrador de vários nichos de mercado, com um potencial disruptivo considerável. Bem trabalhado, pode vir a impulsionar produtos de referência, sob um leque de valores simples, verdadeiros e autênticos que é a “Colecção Caixinhas de Surpresas”. Recorrendo às novas formas de relacionamento e às plataformas sociais, queremos dar a este projecto a oportunidade de crescer organicamente.

Tradução inglês e alemão

Diana Dâmaso

Nasci em Almada em 1984 e cedo se evidenciou a minha queda para as línguas e para a escrita. Licenciei-me em Línguas e Literaturas Modernas, variante Inglês/Alemão na Universidade Nova de Lisboa e tenho persistido, por gosto pessoal, na aprendizagem de ambos os idiomas ao longo dos anos. Mais recentemente frequentei três semestres no Goethe Institut em Lisboa, após o qual obtive uma bolsa de estudo para um pequeno curso de duas semanas no Goethe Institut em Göttingen, na Alemanha.

Conheci a Patrícia Fidalgo em 2008 e de uma amizade já de longa data surgiu a proposta de dar o meu contributo para um projecto da ilustradora. De bom grado acedi, após conhecer os contornos didácticos d´©”A Quinta da avó Quitéria”, e de saber pela voz de Patrícia Fidalgo o significado deste projecto. O regresso às origens e a uma vida mais em contacto com a Natureza povoam esta história e isso diz-me muito. É aí que encontro um ponto em comum com Patrícia Fidalgo. A tradução para Alemão e para Inglês tenta ir ao encontro da simplicidade e naturalidade do texto em Português e espero que assim desperte a paixão para outros mundos e outros ritmos de falar e de ver a vida.

Tradução francês

Francisco Sena Santos

Tenho por ofício, há já umas décadas, contar histórias e faço-o com grande gosto. De facto sou jornalista. Grande parte do tempo na rádio, a pública e a privada. Agora, muito dedicado ao podcast e às possibilidades multiplataforma para contar as histórias que fazem notícia. Ando muito envolvido no trabalho como correspondente, para a Austrália como para França. E a fazer crónicas no Sapo24. E a trabalhar a formação de jornalistas, incitando-os à máxima exigência.

Sou de cultura francófona: tinha 3 anos quando me puseram nas classes infantis do Liceu Francês. A formação como jornalista foi sempre muito influenciada pela escola da rádio francesa. Deve ser por isso que a Patrícia me chamou para integrar esta estimulante equipa, tratando a versão francesa de textos.

Sobre a Patrícia: com ela confirmei como uma mulher que cultiva desportos de grande intensidade física e que também tem uma apurada delicadeza artística. ©”A Quinta da avó Quitéria” mostra essa sensibilidade que também foi possível admirar numa excelente exposição de ilustrações da Patrícia, em Agosto de 2015, na galeria da Livraria” Ler Devagar”, na LX Factory, em Lisboa. Para além de todo este talento sobressai na pessoa da Patrícia um permanente culto da solidariedade. Ela trabalha por uma sociedade mais justa com oportunidades para todos. Sendo que uma iniciativa como esta que a Patrícia está a desenvolver também merece toda a solidariedade.

Tradução espanhol

Juan Peña

Nasci em Buenos Aires em 1962. Licenciei-me em Administração de Empresas e posteriormente fui estudar a Espanha onde morei durante mais de 25 anos e onde fiz dois masters. Trabalhei sempre em multinacionais até que decidi deixar esta atividade profissional. Mudei radicalmente e dediquei-me ao ensino de línguas e de outras disciplinas.

Durante um destes cursos conheci a Patrícia e imediatamente percebi uma especial sensibilidade perante alguns temas. Falámos do seu projeto e dos conteúdos didácticos da ©”A Quinta da Avó Quitéria” e do significado deste projecto. Para mim foi uma muito agradável surpresa ver que tínhamos tantas coisas em comum e ter tido a possibilidade de fazer uma mínima contribuição é um orgulho.

Fotografias

Maria Dulce Lázaro

Nasci em 1956, em Lisboa e por aqui cresci. Licenciei-me na Universidade Nova de Lisboa. O interesse pela fotografia nasceu tarde na minha vida. Primeiro fiz fotografia em família. Mais tarde comecei a interessar-me por fotografia de natureza e pessoas, que são os temas que mais me motivam.

Participei em algumas exposições colectivas organizadas pelos grupos de fotografia Fotomanya e Click’s Fotográficos. Este ano, 2016, fui convidada a expor individualmente na universidade brasileira da Cruz Alta, Unicruz, no Rio Grande do Sul. Também em 2016, no mês de Abril, um trabalho meu foi publicado na revista National Geographic, na rubrica “A escolha da redacção”. Os meus trabalhos de fotografia são publicados diariamente na minha página do facebook  Maria Lázaro.

Conheço a Patrícia já há alguns anos e tive todo o prazer de fotografar a inauguração da sua primeira exposição de ilustração que esteve patente na livraria “Ler Devagar”, na Lx Factory em Lisboa, que decorreu durante o mês de Agosto de 2015.

Passado um mês, apresentou-me o jogo/brinquedo ©”A Quinta da Avó Quitéria”, que muito apreciei e no qual tive o prazer de colaborar como fotógrafa da peça a pro-bono, de forma a ajudar na sua promoção. Este jogo, para além de ter sido desenvolvido com produtos portugueses, devolve às crianças de hoje o aroma simples do campo e dos prazeres singelos levando-as a sonhar num mundo mais belo e à sua medida.

Vídeo

Miguel Cipriano

Web

Patrícia Fidalgo e Nuno Silva


Facebook

https://www.facebook.com/aquintadavoquiteria/